10 coisas que observei sobre Dubai

Quando viajei para o Japão, fiz stopover em Dubai, onde fiquei dois dias. Este tempo foi bastante para conhecer a cidade, localizada nos Emirados Árabes Unidos, e observar a cultura, os habitantes, etc.

Dubai_predios_Emirados_Arabes_Unidos

Os arranha-céus de Dubai em meio à névoa de areia do deserto (foto: Tatiana Maebuchi)

Confira, então, um pouco do que vivenciei em Dubai turistando e fatos importantes para saber antes de viajar para lá.

Dubai é cidade de conexão de voos na Ásia

Localizada no deserto, Dubai é a cidade mais populosa dos Emirados Árabes Unidos. O aeroporto da cidade é muito movimentado por ser escala de diversos trechos de voos na Ásia. Conheci Dubai fazendo stopover de 2 dias, com visto de 96 horas, voando pela Emirates Airlines até Tokyo.

– Saiba mais como é fazer stopover em Dubai aqui. 😉

O aeroporto

O Aeroporto Internacional de Dubai (DXB), por onde chegamos, foi inaugurado em 1960 e recebe 66 milhões de passageiros por ano, levando a 260 destinos.

A sinalização lá dentro é um pouco ruim, ficamos meio sem saber para qual lado tínhamos que ir na hora de embarcar com destino a Tokyo.

Outra coisa que pode ser melhorada é a conexão do Wi-fi, que só permitiu funcionar o iMessage; os aplicativos (tentei Messenger do Facebook, What’s App, Viber) não carregavam. Talvez a rede sem fio estivesse sobrecarregada, porque passei por Dubai na volta ao Brasil em plena sexta-feira e o aeroporto estava lotado.

O que reparei que tinha lá era banheiros com chuveiro, mas só percebi na volta e eu não tinha toalha.

Já o duty free é gi-gan-tes-co! O que estava barato eram chocolates (barra de Milka de 300 gramas e o alemão Ritter Sport que é muito bom) e perfumes.

A cidade

Conhecida por seus arranha-céus, é destino de celebridades que se hospedam em hotéis luxuosos e caros. Por conta da exploração de petróleo, que foi o responsável pelo desenvolvimento da região, Dubai é dominada por carros e avenidas que mais parecem rodovias. Há muitos imigrantes, como os filipinos, que vivem e trabalham lá.

O clima

Em dezembro, a região está na época do inverno. Por estar no deserto, a temperatura durante o dia chegava a uma média de 26ºC. De dia, ficava ensolarado e de noite esfriava.

O ruim é a qualidade do ar, que fica muito seco. Quando você olha para o topo dos prédios, vê uma nuvem de areia, como se fosse uma névoa. Também dá para sentir um pouco de maresia – Dubai está localizada na costa do Golfo Pérsico.

– Veja dicas de apps gratuitos para sua viagem. 🙂

A moeda

A moeda local é o dirham, que vale menos que o real. Quando viajamos para lá, estava cotado a cerca de R$ 0,80. Levamos apenas dólar e tivemos de trocar uma parte por dirhams, porque diversos estabelecimentos não aceitavam dólar, apenas a moeda deles.

Cultura

Dubai_Burj_Khalifa_vista_EAU

Vista noturna do 124º andar do Burj Khalifa (foto: Tatiana Maebuchi)

Dubai conta com passeios turísticos típicos árabes, como o Museu de Dubai, o prédio mais alto do mundo Burj Khalifa e a casa do sheikh Saeed Al Maktoum. O museu vale a pena, porque tem coisas muito interessantes – a história de crescimento da cidade e sobre a dessalinização da água, que foi o projeto que tornou possível habitar esta região de deserto.

Já o Burj Khalifa, que tem 163 andares e 828 metros de altura, é um passeio obrigatório para quem turista pela cidade. O melhor horário (e mais disputado) para agendar sua visita é no fim da tarde, quando você terá a oportunidade de apreciar a vista à luz do dia e com a iluminação noturna. Mas o ingresso é um pouco salgado – pagamos cerca de R$ 120 cada um para subir ao 124º andar por volta das 19h. E é um pouco mais caro se for no horário do por do sol e/ou para ir até o 125º e 148º, com direito a sucos, frutas e outras comidinhas.

Hospedagem

Apesar dos preços altos, é possível se hospedar em um hotel confortável sem gastar muito. Uma boa dica é pesquisar as opções no Booking.com e comparar os preços e outros serviços.

Fiquei responsável por reservar o hotel e achei melhor ficar não tão longe do aeroporto para economizar dinheiro com táxi e tempo de deslocamento. Vi que alguns hotéis oferecem traslado.

As marcas mais baratas eram Mercure e Ibis (da rede Accor), que acabamos escolhendo. Nestes casos, o café da manhã é um serviço opcional e pago à parte da diária.

Outra coisa importante é prestar atenção no fuso horário para reservar tudo certinho.

– Confira aqui dicas de sites para planejar sua viagem internacional. 😉

Alimentação

A gastronomia é bastante ocidentalizada. Dentro da praça de alimentação do shopping, isto é mais vísivel ainda. Eu e meus amigos tivemos a (feliz e saborosa) experiência de provar um (fantástico, mas caro) hambúrguer orgânico, do Elevation Burger. Montamos o sanduíche e estava tudo muito gostoso – o hambúrguer, o queijo, o bacon… A porção de batata frita era bem grande. Pois é, acabamos não comendo nenhuma comida típica.

Transporte

Existe uma rede de ônibus (que não usamos) e metrô (que em horários de pico, descobrimos ali na hora, fica lotado e, sim, as pessoas empurram). Por isso, como estávamos em três pessoas, decidimos rachar táxi. Pelas distâncias que percorremos, até acho que foi uma boa alternativa. O único problema é a fila e encontrar um taxista que fale Inglês. O pagamento pode ser em dólares ou dirhams.

Dubai_metro_Emirados_Arabes_Unidos

O metrô de Dubai é bom, mas lotado em horários de pico (foto: Tatiana Maebuchi)

Um dos meus amigos teve a ideia de alugar um carro, porque facilitaria nosso deslocamento pela cidade. Ele fechou com uma empresa recomendada no site da própria Emirates e já teve de pagar uma quantia no cartão de crédito.

Chegando lá, passaram o cartão mais uma vez na máquina – para fazer um pagamento “de garantia”, que não estava previsto nas regras do aluguel no site da companhia. Houve uma tentativa de esclarecer as cobranças, mas pelo receio de cobrarem ainda mais, ele desistiu. E ficamos sem carro. Por isso, recomendo ter muito cuidado ao alugar um carro por lá.

Os árabes

Os árabes já são conhecidos por serem machistas e posso dizer que comprovei a fama. Além disso, poderia dizer que são xenófobos. Quando desembarcamos, a equipe que trabalha na Imigração não foi nada gentil com a gente e, não sei se por não falarem muito bem Inglês, um pouco mal educados até.

Percebi também que quando meus amigos, homens, interagiam com os árabes não foram tão rudes quanto foram comigo.

– Leia aqui mais dicas de viagem do blog! 😉

3, 2, 1… Viajando! na rede

Facebook – www.facebook.com/blog321Viajando
Twitter – @321_Viajando
Instagram – @321_viajando

4 comentários sobre “10 coisas que observei sobre Dubai

  1. Realmente um dos melhores posts ja escritos nesse blog !!!
    sério a leitura foi agradavel e cada detalhe que vc descreveu está perfeito, realmente eu gostei muito do que eu li.
    Todos os tópicos vc descreveu do jeito como eu tb vi na viagem

    Parabens!!!! está melhorando cada vez

    Curtido por 1 pessoa

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s