12 curiosidades sobre o origami

Barco dobradura origami

Os primeiros registros de origami no Japão datam do Período Heian (794-1185)

A origem do origami se deu na Ásia há milhares de anos e passou diferentes usos até se tornar a tradicional arte japonesa da dobradura em papel. Descubra o significado da palavra e a história do origami!

1. A palavra “origami” deriva de oru, “dobrar” em japonês, e kami, que significa “papel”.

2. Segundo a maioria dos livros sobre o tema, o papel foi inventado na China por Ts’ai Lun no ano de 105 d.C.

3. Durante o século VI, o papel chegou à Coreia e depois ao Japão, levado por monges budistas (às vezes citando um monge específico, chamado Dokyo).

4. Os primeiros registros de origami no Japão datam do Período Heian (794-1185), quando a nobreza do país teve seu auge e era um tempo de grande avanço cultural e artístico.

5. Foi no Japão que a dobradura em papel se tornou uma arte e evoluiu ao que conhecemos hoje como origami.

» Saiba mais também sobre o haiku, poema da literatura japonesa!

6. Ainda no Japão, o papel era caro e, por isso, não era acessível ao público em geral. Tanto o papel quanto a dobradura restringia-se a rituais religiosos e eventos formais da elite japonesa.

7. Um dos exemplos mais antigos de dobradura em papel (com corte) é o shide – papel em forma de zigue-zague usado em rituais de purificação. O shide provavelmente era feito de tecido, mas depois passou a ser de papel.

8. No Período Edo (1600-1868), muito da cultura popular tradicional se desenvolveu como forma de entretenimento para as classes comerciantes e pessoas comuns. O kabuki (teatro japonês) e o ukiyo-e (gênero de xilogravura e pintura popularmente conhecido como estampa japonesa) são alguns exemplos, enquanto o origami também se popularizou.

9. Há evidências de origami recreacional entre os anos 1600 até o século XVII que era possível encontrar kimonos (vestimenta tradicional japonesa) decorados com tsurus (grou) de papel.

Origami tsuru

Origami de tsuru é um dos mais tradicionais do Japão

10. Na Europa, o origami data do século XII ou antes e historiadores acreditam que a técnica se desenvolveu mais ou menos independentemente do Japão. O principal motivo é o fato de os modelos europeus terem quadrados e retângulos, por exemplo. Enquanto isso, as dobraduras japonesas tendem a ter um toque pessoal.

De qualquer forma, nos anos 1800, crianças na Europa e Japão já aprendiam a dobrar papel.

11. Da Europa, o origami depois se espalhou pela América do Sul e América do Norte.

12. Nos anos 1950 e 1960, um grupo internacional de origami foi estabelecido por criadores e dobradores como Akira Yoshizawa, Toshie Takahama, Isao Honda, Robert Harbin, Gershon Legman, Lilian Oppenheimer, Samuel Randlett e Vicente Solórzano-Sagredo. Cada um deles avançou na popularização da arte em suas respectivas comunidades.

O grupo publicou os modelos de designers do Japão, Europa e Américas em japonês e inglês. Além disso, fundou organizações nacionais e locais.

Os diagramas de Yoshizawa foram adotados por Harbin e Randlett, e, assim, tornaram-se padrão internacional.

» Leia também sobre o taiko, o tambor japonês!

12. Considerado o criador do origami moderno, Akira Yoshizawa (1911-2005) nasceu em uma fazenda nos arredores de Tokyo e recriou a primeira dobradura com quatro anos de idade. Ao longo de sua carreira, nunca seguiu nenhum dobrador de papel, tinha seu próprio estilo – reconstruiu modelos mais simples, encontrou novas formas de adaptar antigas dobraduras e se recusou a deixar as formas geométricas dominarem sua criatividade.

Yoshizawa ganhou reconhecimento no Japão em 1952, quando suas dobraduras dos doze signos do zodíaco foram publicadas na revista Asahi Graph. Depois, fez exposições em Tokyo, Amterdã e Nova York. Já no final dos anos 1950, o artista era conhecido na Europa e nos Estados Unidos tanto quanto no Japão.

A Fundação Japão o enviou a diversos países como embaixador cultural e, no Japão, tornou-se membro da Ordem Nacional do Sol Nascente, condecoração nacional criada em 1875.

Fonte: sites Japan Zone, The Guardian, Origami Resource Center e K’s Origami (de Koshiro Hatori).

Facebook – blog321Viajando
Instagram – @321_viajando
Twitter – @321_Viajando
YouTube – 321Viajando

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s